Articles

macroangiopatia diabética e aterosclerose

resumo

no presente estudo, comparamos e analisamos dados publicados relacionados à patogênese da doença de grandes vasos no diabetes. A opinião predominante parece ser que o diabetes acelera o mecanismo que leva ao desenvolvimento da aterosclerose clássica. No entanto, como alternativa, reunimos dados que apontam para a presença de uma macroangiopatia diabética. Este fenômeno compreende uma constelação de anormalidades não ateroscleróticas de grandes vasos. Hoje, sabemos que o acúmulo de ácido periódico-Schiff (PAS)-material positivo, como laminina, fibronectina e colágeno tipo IV, ocorre juntamente com ácido hialurônico e vários tipos de tecido conjuntivo e deposição de cálcio. Todas essas mudanças ocorrem independentemente da presença de aterosclerose nos grandes vasos de pacientes diabéticos. Parece-nos que essas observações enfatizam que o conceito de uma macroangiopatia diabética específica é uma hipótese de trabalho mais frutífera do que a teoria usual de uma ligação entre aterosclerose e diabetes. Ele fornece uma relação causal (embora o mecanismo seja desconhecido) entre tais mudanças e o metabolismo anormal no diabetes e um pano de fundo para Estratégia e tática de pesquisa, visando finalmente a possibilidade de prevenção e/ou tratamento dessa doença comum e perigosa.